26 de junho de 2009

Café Piolho. 100 anos

Onde passamos horas a estudar. Onde perdemos horas a fio sem estudar. Onde vivemos o entusiasmo das novas relações e a dor das separações. Onde conhecemos "n" namoradas e as esposas. Onde criamos laços de amizade com um sem número de amigos. Onde ingerimos litros e litros de cafeína. Onde queimamos milhares de cigarrros e respiramos os dos outros também. O meeting point. O ponto de partida e de chegada de grandes viagens. Onde davamos largas à discussão politica tantas vezes com o "pide" na mesa do lado.
Hoje, o Piolho (Âncora D'Ouro) é talvez mais um lugar de negócio como outro qualquer onde uma bica na esplanada é uma estopada para a mesada de qualquer estudante.
Onde param as pessoas? Muitos voltam aqui para beber uma taça de espumante "rosé", comer uma fatia de bolo e tomar um café (oferta da gerência, com direito a levar a chávena para casa), outros perderam-se nas teias da droga e arrumam automóveis, outros meteram os ideais no saco e agora usam gravata e são políticos de sucesso. Outros compõe, outros escrevem, outros pintam. Basta passar numa noite quente de primavera pelo Piolho e observar as centenas de pessoas que ali bebem e conversam para perceber que continua a ser significante para os jovens apesar dos polos universitarios se terem afastado do centro da cidade. Viva o Piolho! zct

0 Comentários:

Enviar um comentário

Subscrever Enviar comentários [Atom]

<< Página inicial