4 de junho de 2009

Era uma vez um monge ...

O lama Osel, um jovem espanhol considerado pelos tibetanos a reencarnação do seu primeiro líder espiritual, o lama Yeshe, vive em Madrid e estuda cinema desde que deixou o mosteiro onde passou a sua infância. Em entrevista publicada pelo jornal El Mundo, o jovem futuro líder espiritual dos tibetanos confessa ser "agnóstico" e não tencionar cumprir esse destino de santidade e de liderança religiosa que lhe foi traçado pela hierarquia dos monges do Tibete.
Aos 18 anos de idade, Osel Hita Torres decidiu "mandar na sua própria vida" e deixou o mosteiro de Sera, no sul da Índia, onde passou 12 anos da sua vida, por ali se sentir "infeliz". "Com 14 meses já me tinham reconhecido e levado para a Índia. Colocaram-me um gorro amarelo, sentaram-me num trono, as pessoas veneravam-me... Retiraram-me da família e colocaram-me num ambiente medieval em que sofri muitíssimo. Era como viver uma mentira". "A infância é o período mais importante da vida porque é quando nos formamos como pessoas, e a minha foi frustrante e cheia de sofrimento. O meu crescimento parou e há ainda muitos aspectos que preciso de amadurecer: convivência, sociabilidade, conhecer-me melhor, e descobrir quem sou..." confessou Osel agora com 24 anos. zct
(LUSA)31.5.2009

0 Comentários:

Enviar um comentário

Subscrever Enviar comentários [Atom]

<< Página inicial