15 de outubro de 2008

O Velho Estado Novo

« ... ao pessoal recrutado para os serviços de saúde era exigido "bom comportamento moral" e "teor de vida irrepreensível" (sic). O exercício da enfermagem hospitalar era reservado à mulher solteira ou viúva sem filhos. As funções administrativas só podiam ser desempenhadas por homens. E dentro dos estabelecimentos havia uma estrita separação dos sexos tanto entre o pessoal como entre os doentes. Em suma, as instituições tinham uma clara natureza repressiva, ou mesmo totalitária. Por exemplo, no Hospital Rovisco Pais, nascido em 1947, na sequência da luta contra a lepra, a disciplina era implacável: até à década de 1960, havia até uma cadeia privativa e os próprios médicos puniam os doentes com penas de prisão, por simples faltas ao regulamento como sair para o exterior sem autorização. » in Luis Graça (2000) - A política velha do Estado Novo em matéria de saúde

0 Comentários:

Enviar um comentário

Subscrever Enviar comentários [Atom]

<< Página inicial